A Toca do Túlio

Fevereiro 2, 2009

‘Homejacking’ provoca reunião de emergência

Filed under: Segurança e Justiça — tuliohostilio @ 5:52 pm

Insegurança

O Gabinete Coordenador de Segurança esteve reunido de emergência para definir estratégias de combate aos assaltos violentos a residências. A reunião aconteceu na quinta-feira, após as forças de segurança reconhecerem que este crime aumentou, sobretudo no Grande Porto e Algarve.

 

O secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, convocou uma reunião de emergência na passada quinta-feira, do Gabinete Coordenador de Segurança para definir estratégias de combate ao homejacking – assaltos violentos a residências com os moradores lá dentro. O aumento deste crimes, principalmente na zona do Grande Porto e Algarve, está a preocupar as polícias que querem avançar com medidas e prevenção.


Neste gabinete, presidido pelo juiz conselheiro Mário Mendes, estiveram todos os dirigentes máximos das forças de segurança e dos serviços de informação: o secretário-geral do Sistema de Informação, Júlio Pereira, os directores nacionais da Polícia Judiciária, Almeida Rodrigues, da PSP, Oliveira Pereira, do SEF, Manuel Palos, e ainda o comandante-geral da GNR, Nélson Santos.

 

Esta foi a primeira reunião de emergência do gabinete criado em Agosto do ano passado – um órgão de assessoria e consulta para a coordenação técnica e operacional da actividade das forças e dos serviços de segurança, funcionando na directa dependência do ministro da Administração Interna. Todos estiveram de acordo quanto à necessidade de organizar uma campanha de prevenção, com um conjunto de medidas que as pessoas devem tomar para não facilitar a entrada de criminosos nas suas casas.

 

Durante o encontro, ficou decidido que os chefes das polícias irão dirigir e coordenar os esforços para a investigação criminal, bem como para os avisos de prevenção à população. A reunião serviu igualmente para diagnosticar o modus operandi do casos de homejacking, que aponta para uma criminalidade grupal organizada e com uma grande capacidade de mobilidade por todo País. “Já houve, por exemplo, um caso em que o mesmo grupo que assaltou uma casa em Cascais de manhã, foi depois identificado a assaltar outra em Gaia, à tarde”, explicou fonte policial.

 

Mas, apesar da maior incidência no Norte e Sul do País, o homejacking não é um fenómeno exclusivo do Grande Porto e da região algarvia. Nos últimos seis meses, a directoria da P J de Lisboa registou nos últimos seis meses 58 assaltos à mão armada a casas particulares. Na maioria dos casos, os assaltantes planeiam o roubo ao pormenor, vigiando as habitações e estudando os hábitos de vida dos moradores. Segundo fontes policiais, há cada vez mais situações em que os ladrões actuam de madrugada, com os moradores a dormir. Entram nas habitações e, só quando são surpreendidos, é que recorrem à violência.

 

Embora ainda não existam dados estatísticos, este novo fenómeno da criminalidade assumiu maior importância após o caso de Domingos Paciência, o treinador da Académica, cuja mulher e os três filhos estiveram a 17 de Janeiro sequestrados num quarto da casa da família, em Leça da Palmeira. Este crime, pela sua mediatização, causou algum alarme social, aumentando o sentimento de insegurança e, por isso, o secretário–geral de Segurança Interna, entendeu ser preciso tomar medidas urgentes.

 

In DNOnline

3 comentários »

  1. Antes de tudo é preciso dotar os tribunais de condições para que funcionem, agravar as penas, reduzir a idade penal.
    Depois tem de se analisar a verdadeira realidade do país, mas desta vez perguntem aos policias que andam na rua e lidam diariamente com os problemas, certamente os resultados serão mais correctos e menos caros do que os das entidades que elaboraram muitos dos estudos.
    Depois façam restruturações como deve ser e procurem fazer isto no mais curto espaço de tempo, porque as coisas vão piorar muito.

    Comentar por luis — Fevereiro 3, 2009 @ 1:25 am | Responder

  2. Concordo!!!
    Um grande abraço.

    Comentar por Paulo — Fevereiro 6, 2009 @ 11:01 pm | Responder

  3. Até me assusto só de pensar o quanto isto vai piorar e ninguem passa das palavras!!!!
    Se espanha está como está… imaginem Portugal!!! Vamos ficar bem pior.
    Anda quase tudo a dormir!
    Basta juntar a situação geral na sociedade Portuguesa,com o descontentamento dentro das Forças de Segurança, para adivinhar o que aí vem. Como pessimista tenho até experança que venha alguém com tomates pegar nas forças de segurança e restruturá-las de forma a servir melhor a população sem esquecer o valor que tem os homens e mulheres que as representam. Saudações Policiais.

    Comentar por nelson — Fevereiro 10, 2009 @ 1:40 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: