A Toca do Túlio

Abril 30, 2008

MAI emite despacho para garantir a presença de mais de um elemento nas instalações da GNR e de PSP

Filed under: Forças de Segurança — tuliohostilio @ 4:29 pm

Segurança: MAI emite despacho para garantir presença de mais de um agente nas instalações da PSP e da GNR

O Ministério da Administração Interna (MAI) emitiu hoje um despacho sobre a organização do dispositivo das forças de segurança para garantir que estejam de serviço nas instalações da PSP e da GNR mais do que um agente ou militar.

Em comunicado, o MAI adianta que o despacho visa garantir que as forças de segurança organizem o dispositivo e as escalas para que “não haja esquadras ou postos apenas com um agente ou militar de serviço”.

Segundo o MAI, o comandante-geral da GNR e o director nacional da PSP devem tomar as “medidas tendentes” à organização do dispositivo e das escalas “em articulação com o secretário de Estado da Administração Interna”, Rui Sá Gomes.

Fonte do Ministério da Administração Interna disse à Agência Lusa que o despacho não identifica as medidas operacionais, que ficam a cargo da GNR e da PSP.

O despacho do Ministério da Administração Interna surge após o incidente ocorrido domingo na esquadra de Moscavide, Loures, quando 10 a 15 homens invadiram o local onde estava só um polícia e agrediram um jovem de 20 anos que pretendia apresentar queixa do grupo, que depois fugiu.

Lusa

7 comentários »

  1. Do alto da minha avançada idade (!)não paro de me admirar da clarividência dos esclarecidos governantes.Deixaram de reconhecer aos mais altos chefes das Forças de Segurança competência, capacidade, sensatez, inteligência para decidir sobre a gestão do dispositivo ao ponto de ter de ser o MAI a determinar que, «o comandante-geral da GNR e o director nacional da PSP devem tomar as “medidas tendentes” à organização do dispositivo e das escalas “em articulação com o secretário de Estado da Administração Interna”, Rui Sá Gomes.»
    Isto brada aos céus!!!
    O Sr. Rui não terá nada mais importante e complexo a fazer do que estar a supervisar as escalas???
    Isso deveria ficar a cargo de qualquer sub-chefe ou chefe.
    E quem resolve os problemas mais complexos das Forças de Segurança? Terá que ser o PM ou o PR, ou terão de ir pedir a ajuda do Bush?
    Que falta de sentido das proporções e das prioridades!!! A isto chama-se dirigir em função das noticias da Comunicação Social. Acaso, já ouviram em processo disciplinar quem foi responsável por haver apenas um homem indefesa na esquadra? De hoje para o futuro, já não haverá que ouvir ninguém porque o responsável será o Sr. Rui.
    Agora fica tudo claro.

    Abraço
    A. João Soares

    Comentar por A. João Spoares — Abril 30, 2008 @ 5:00 pm | Responder

  2. porta arrombada, trancas à porta… por despacho!
    abraços

    Comentar por heretico — Abril 30, 2008 @ 8:08 pm | Responder

  3. O ministro tem toda a razão, na GNR e na PSP ninguém sabe fazer a escala, é preciso vir ele cá fazê-la!!!

    Mas não estou a ver soluções, dado os meus anos de serviço territorial.
    Eu tinha-as, se deixassem a mim fazer a prometida restruturação!!!
    saudações

    Comentar por geninho — Abril 30, 2008 @ 9:29 pm | Responder

  4. está claro… só é pena que qualquer Ministro da Administração Interna que apareça por aí, não tenha ido a votos… aí sim é que era ver-nos todos a votar no Zé da oficina ou no Tó da messe, para não falar naquele “principal” que desenrasca sempre o expediente mais difícil… isso sim seriam veradeiros MINISTROS, pois são estes homens que realmente conhecem a realidade.
    Este tipo de situações não devem ser tratadas com pressa, deve-se pensar antes de falar.

    já agora, onde está o senhor Director Nacional? não devia ser ele a falar?

    Comentar por nelson — Abril 30, 2008 @ 9:54 pm | Responder

  5. Na GNR não sei, mas na PSP a escala é feita pelo computador.
    Foi por isso que da 35 ninguém vai levar uma porrada.

    Comentar por Cristiano Ronaldo — Abril 30, 2008 @ 10:31 pm | Responder

  6. Cada vez mais me acho inseguro neste País. A bagunça não é generalizada mas sim uma realidade. Mas essa realidade até nem cabe às forças de segurança vislumbrar a ineficáz segurança dos cidadãos mas sim de um povo governado arcaicamente onde os agentes policiais estão destacados 24 horas sob 24 horas na protecção destas figuras públicas. Mas se neste País se diz viver em democracia, porque esses governantes estão rodeados de tanta segurança?
    Já lá vão os tempos em que se via um agente da autoridade em cada esquina de ruas e ruelas, onde o cidadão poderia tirar as suas dúvidas ou adquirir as suas informações, hoje, nem num posto ou Esquadra policial é capaz de dissertar as suas dúvidas até porque esses postos ou esquadras se encontram desprotegidos. Felizmente que hoje ainda não estamos perante uma clamidade insurreccional caso contrário estes postos ou esquadras tão pouco vigiado seriam alvos fáceis para a malandragem. Mas meus senhores, a continuar assim, não demorará muito a que estes imóveis pagos pelos nossos impostos não venham a sofrer as consequências a que estão dotados ao abandono.
    Com certeza que há trinta anos havia em Portugal um corpo de policia inferior ao que existe hoje. Lembra-me muito bem das três companhias do CI existentes, da meia dúzia de homens do corpo de segurança pessoal e os restantes elementos compunham os efectivos das Esquadras. Em cada mudança de turno de serviço eram feitas cerca de uma dúzia de rendições de postos de trabalho, sendo as Embaixadas e os giros as principais prioridades. 99% dos agentes policiais iniciaram na calçada as mazelas da profissão. Os postos tinham dois efectivos permanentes onde um elemento ficava durante três horas à porta e o segundo elemento vigiava as redondezas. Por caricato que pareça, este sistema de segurança desapareceu do mapa e vergonhosamente nas barbas da policia que não existe há assaltos a 50 ou 100 metros desses locais. Pensava eu que com a criação de uma escola superior de polícia esta corporação só ganharia, denoto o contrário, só bazófias neste jovens graduados que de policia pouco ou nada sabem – vê-se o descontentamente no interior dos postos entre os subordinados. Foram criadas novas unidades de elite policial, para quê? Para retirar a segurança ao espaço envolvente. Foi aumentado o número de efectivos ao CI, passando para o triplo de companhias de intervenção, para quê? para que haja mais dias de descanso. Um dia alguém disse…quem me dera saber tanto de policia como um guarda de 1ª classe (ex. Comandante Distrital da PSP de Lisboa). O que fazem actualmente os subchefes os subcomissários( escalão de sabedoria policial muito abaixo dos anterior chefes de Esquadra) e aqueles subintendentes e intendentes que quase não conheceram a calçada? Estão todos fechados em gabinetes como se tratassem de meros funcionários públicos com horários das 9 às 17 horas.
    Este País precisa de uma segurança mais visível… e esta está inóbil

    Comentar por ribas — Julho 18, 2008 @ 11:45 am | Responder

  7. Os cães ladram mas a caravana passa… Não tinha conhecimento do despacho emanado pelo senhor ministro do MAI… Mas pergunto eu na pura ignorancia da minha existência… Esse despacho está a ser cumprido, pelo que me parece não.
    Em nada mudamos… continuamos com eu faço e aconteço… As medidas são anunciadas. Mas quem as cumpre!!! Eu…
    Enfim e é este país que eu tenho pena que seja assim…

    Comentar por anonimo — Novembro 17, 2008 @ 12:56 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: